Apresentação



Os brasileiros lêem pouco e apenas 12% têm computador em casa, segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ). Para mudar esta realidade, o SESI investe em projetos como a Indústria do Conhecimento – centros multimídia que promovem a inclusão digital e facilitam o acesso do trabalhador e sua família à informação e à leitura.
Cada unidade da Indústria do Conhecimento é equipada com dez computadores conectados a internet, salas de leitura e bibliotecas com livros, CDs, DVDs, gibis, jornais e revistas. São cerca de mil e quinhentos títulos impressos e de mídia eletrônica. Os horários de funcionamento são flexíveis e atendem à necessidade das comunidades.
A infra-estrutura é apenas uma parte do serviço prestado pelo SESI: todos os centros multimídia contam com instrutores treinados, que auxiliam a população a utilizar os computadores e estimulam a assimilação de conhecimento.
Parceria com setores público e privado
O projeto é uma iniciativa da CNI, executada através do SESI e foi lançado em 2006. A idéia surgiu após a constatação de que o baixo índice de leitura no Brasil é reflexo da deficiência de acervo das bibliotecas escolares e públicas e da dificuldade de acesso à internet. De acordo com pesquisa da Câmara Brasileira do Livro, 61% da população adulta alfabetizada têm pouco ou nenhum contato com livros.
A Indústria do Conhecimento tem apoio de diversas organizações públicas e privadas em todos os estados do país. O objetivo do SESI é inaugurar cem módulos em todo o país, que podem ser alocados nas comunidades ou nas instalações de empresas.​