26/02/2019

​Um projeto inovador que oferta um currículo integrado por áreas de conhecimento ao invés de disciplinas, e inclui formação técnica que possibilitará os estudantes iniciarem mais cedo a vida profissional. Assim é a proposta de implantação do Novo Ensino Médio do SESI-PE, solicitada por meio do superintendente da instituição, Nilo Simões, ao Conselho Estadual de Educação (CEE-PE), na última segunda-feira (25).

No encontro, que contou com a presença do presidente do CEE-PE, Ricardo Chaves, o SESI-PE apresentou o conceito do projeto em parceria com o SENAI, que tem como finalidade a formação integral (básica e técnica) voltada para o mercado de trabalho através de itinerário formativo para a área industrial de energia e as unidades específicas do Curso Técnico de Eletrotécnica, com certificações ao final do curso.

Na prática, as áreas de conhecimento serão integradas, a organização curricular será composta pela Base Nacional Comum Curricular e por itinerários formativos (linguagens e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; ciências humanas e sociais aplicadas e a formação técnica e profissional),os estudantes serão avaliados pelo desenvolvimento de competências e habilidades. Tudo isso ajudará na iniciação e inserção dos jovens no mundo do trabalho da indústria e a formação de profissionais qualificados e capacitados para atuar no setor produtivo, impulsionando o crescimento da competitividade das indústrias brasileiras.​

A nova metodologia contribuirá, ainda, na formação de cidadãos com capacidade de pensar de forma ampla e crítica diante dos desafios do mundo corporativo e poderá ser difundida como um projeto educacional para os sistemas públicos de educação. Pioneiro em Pernambuco, o Novo Ensino Médio já foi implantado pelo SESI em caráter experimental nos estados da Bahia, Ceará, Alagoas, Espírito Santo e Goiás.