17/01/2020

​​Tão importante quanto desenvolver a inteligência acadêmica e ensinar conteúdos de História, Física, Língua Portuguesa, Matemática e outras disciplinas tradicionais é trabalhar a inteligência emocional dos estudantes dentro e fora da sala da aula. Estimular desde cedo o desenvolvimento das habilidades socioemocionais pode ajudar os jovens a lidar com os sentimentos de forma construtiva, incentivar o protagonismo juvenil e atitudes assertivas.

De acordo com a psicóloga Kátia Santos, que soma mais de 30 anos de experiência, a organização emocional do indivíduo, se exprime na possibilidade do sujeito de aprender a lidar com os próprios sentimentos e compreender os comportamentos do lidar umas com as outras. "Quem tem essa inteligência consegue se concentrar mais no aprendizado, organizar melhor o tempo de outro. Ela deve ser reforçada nas escolas para que as crianças e os jovens aprendam a lidar com tudo isso, melhorar a convivência no dia a dia no ambiente escolar e familiar, assim como estudo e enfrentar situações difíceis de forma segura, com resiliência. Se as habilidades socioemocionais não forem bem trabalhadas, podem interferir ou prejudicar o aprendizado cognitivo, impactando negativamente no desempenho escolar", disse.

Em Pernambuco, o Serviço Social da Indústria de Pernambuco (SESI-PE) é uma das instituições que promove a socialização, o relacionamento interpessoal além dos espaços domésticos e aplica a metodologia OPEE – Orientação Profissional, Empregabilidade e Empreendedorismo – para alunos do Ensino Fundamental dentro da disciplina de Empreendedorismo, cujo um dos assuntos abordados é justamente inteligência emocional. "O SESI-PE ajuda as famílias na organização do sujeito enquanto cidadão do futuro, disponibilizando psicólogas em suas 12 escolas localizadas da capital ao Sertão Pernambucano e promovendo reuniões e oficinas sobre o tema. Tudo isso com o objetivo de preparar os futuros profissionais para a vida adulta com capacidade de pensar de forma crítica", comentou Kátia.

Para isso, a entidade trabalha de forma a inteligência emocional de forma lúdica. "Campeonatos de robótica são uma excelente opção de trabalhar a inteligência emocional. No Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League, por exemplo, os estudantes são desafiados a criar um projeto com soluções para um problema cotidiano. Isso faz com que eles pensem no coletivo e em melhorias para a sociedade e o mundo", disse.

Outra atividade que também favorece o desenvolvimento das habilidades mentais e que auxilia no processo de ensino-aprendizagem é o xadrez. "Entre os benefícios, estão o aumento da concentração, disciplina, criatividade; desenvolvimento da paciência e de estratégias de resoluções de situações. O aluno aprende a lidar com a própria frustação e a respeitar o oponente. No SESI, os alunos têm acesso ao xadrez no 1º, 2º e 3º ano da Educação Básica", destacou.

Com média de 70% de aprovação em universidades e faculdades do país, o SESI-PE está com matrículas abertas para o ano letivo de 2020 em suas 12 unidades. Estão sendo disponibilizadas vagas para turmas dos Ensino Fundamental e Médio e o quantitativo disponível depende da infraestrutura da unidade pretendida. As escolas possuem excelente infraestrutura, com salas climatizadas, bibliotecas, laboratórios (ciências, informática e robótica), além de serviço de atenção psicológica e quadras poliesportivas. Mais informações em www.pe.sesi.org.br