11/11/2016

Unidade de Paulista inaugura sala do programa SESI Matemática


A Unidade de Paulista inaugurou, nesta sexta-feira (11), a Sala SESI Matemática. O ambiente vai reforçar as atividades do programa de mesmo nome, que iniciou as atividades no Estado em março deste ano, com a missão de mostrar para os 415 alunos dos Ensinos Fundamental e Médio da escola que aprender matemática pode ser fácil e divertido. Aliás, um desafio que começou a ser vencido, pois 25 estudantes da unidade foram medalhistas na 2ª Copa Brasil de Matemática, que aconteceu entre os dias 12 e 25 de setembro.

A Sala SESI Matemática é um local totalmente pensando para estimular a aprendizagem da disciplina. O mobiliário é disposto de modo a estimular a interação entre os alunos, possui um notebooks para cada estudante e internet de alta velocidade para viabilizar os games e desafios onlines, jogos de montagem e outros materiais concretos para facilitar a compreensão dos conceitos estudados. Já os professores foram capacitados para utilizar todos esses recursos pedagógicos, como também a lousa e câmera digitais, projetor multimídia, livros didáticos e paradidáticos para tornar a aula dinâmica, contextualizada e lúdica.

“Temos investido nesse programa e outras tecnologias da educação, como salas 3D e robótica, para proporcionar uma formação completa e estimular o ingresso dos jovens nas carreiras científicas e tecnológicas que são a base para o desenvolvimento do setor produtivo”, afirma o superintendente do SESI/PE, Nilo Simões, no evento.

Prestigiaram a solenidade de inauguração, o diretor regional da entidade, Ricardo Essinger, a diretora Operacional, Eveline Remígio, e os gerentes de Educação, Michael Groarke, e das Unidades de Paulista, George Modesto, do Cabo, Sueli Alves, e de Camaragibe, José Luiz.

Programa - Além de Pernambuco, a Paraíba, o Maranhão, Alagoas e o Distrito Federal também serão contemplados com o piloto do programa de matemática. O Rio de Janeiro e Santa Catarina já contam com a iniciativa. O projeto, aliás, é fruto de uma pesquisa do Sistema Firjan (2011), realizada com mais de 600 indústrias brasileiras, que identificou a falta de competência matemática e de raciocínio lógico como deficiências dos trabalhadores. “O resultado é a falta de profissionais qualificados
para atuar nas empresas, principalmente nas áreas ligadas às Ciências Exatas. Daí a importância de investir no ensino da disciplina, despertando o interesse dos futuros industriários pela matemática”, avalia o gerente de Educação do SESI/PE, Groarke.