12/05/2015

​​​​​​SESI Matemática beneficiará estudantes pernambucanos

Ela tem status de "bicho-papão" entre os estudantes. No entanto, é fundamental para quem pretende seguir profissões na área de exatas, especialmente para atuar na indústria. A matemática, estigmatizada como matéria "chata" e "difícil", pode e deve ser vista com outros olhos pelos alunos.  É para despertar o interesse dos jovens e tornar a disciplina mais prazerosa que o SESI criou o Programa SESI Matemática, uma metodologia que associa modernas práticas educacionais a recursos tecnológicos, como games online, para facilitar a aprendizagem. Pernambuco será um dos cinco estados a receber, ainda este ano, o projeto piloto da iniciativa.

​Inicialmente, a novidade será implantada no SESI Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A unidade contará uma sala de aula exclusiva, com lousa digital, projetor multimídia, games (mais de 60 mil desafios educativos), notebooks, internet de alta velocidade, livros técnicos e paradidáticos, câmera digital e material concreto, beneficiando cerca de 500 estudantes do Ensino Médio. O investimento na implantação do espaço, rateado entre o SESI/PE e o Departamento Nacional da entidade, é de aproximadamente R$ 220 mil.

"A metodologia do SESI Matemática utiliza recursos tecnológicos, aulas interativas, dinâmicas e lúdicas, para ensinar a disciplina. A ideia é estimular a aprendizagem a partir de situações-problemas do dia a dia dos estudantes. Vamos abordar a matéria de forma prazerosa", explicou a analista de projetos do SESI/PE, Gislene Araújo, responsável pela iniciativa no Estado.

Além de Pernambuco, Paraíb​a, Maranhão, Alagoas e Distrito Federal também serão contemplados com o programa em 2015. A iniciativa é fruto de uma pesquisa do Sistema FIRJAN (2011), realizada com mais de 600 indústrias brasileira, que identificou a falta de competência matemática e de raciocínio lógico como deficiências dos trabalhadores. Rio de Janeiro e Santa Catarina já desenvolvem o projeto.

Ranking - No último exame do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), de 2012, o Brasil ocupava a 58ª posição no ranking mundial de desempenho da Matemática, muito atrás da China, Singapura e Hong Kong, que aparecem nas primeiras posições. Em relação aos países da América Latina, o Brasil também apresenta defasagem no desempenho da disciplina, atrás do Chile, México e Uruguai.​