16/10/2017

Projeto do SESI/PE aponta soluções para competitividade do setor gráfico no Estado

 

O Serviço Social da Indústria de Pernambuco (SESI/PE) realiza, até o final do ano, três workshops para alavancar o desenvolvimento da indústria gráfica no Estado. O primeiro deles aconteceu, dia 05 de outubro, às 15h, na Casa da Indústria, e mostrou a importância de gerenciar questões como Segurança e Saúde no Trabalho e a implantação do e-social para aumentar a competitividade do setor.  

Os eventos fazem parte da segunda etapa do projeto Modelo SESI de Sustentabilidade para a Competitividade, realizado pela instituição em parceria com os Sindicatos Sindusgraf, Sindipão, Sinpep e Sindirepa para aumentar o desempenho das micro e pequenas empresas do segmento no Estado. Para isso, cada sindicato indicou dez empresas para participar do projeto, em atividade desde o primeiro trimestre do ano, com um diagnóstico elaborado com os empresários, colaboradores e clientes de cada estabelecimento a respeito de 32 critérios.

Após o diagnóstico, as empresas receberam o resultado das percepções do empresário, funcionário e cliente acompanhado do plano de ação para direcionar a implementação de práticas que aperfeiçoem a performance delas nos negócios. Já os workshops ministrados pelos especialistas vão contribuir para as indústrias implantarem as soluções pontuadas no plano de ação. Ao final, as empresas serão reavaliadas para verificar os avanços alcançados.

A analista de Responsabilidade Corporativa do SESI/PE, Tatiana Lucas, explica que o conceito de competitividade de uma empresa refere-se à sua habilidade de concorrer no mercado. "A pergunta que o empresário deve fazer é: qual a capacidade de igualar ou superar seus concorrentes? O projeto vem também com a função de esclarecer o tema sustentabilidade, que hoje é entendido apenas na linha ambiental e, na verdade, trabalha as questões econômicas, sociais e ambientais", acrescenta.

Para o superintendente do SESI/PE, Nilo Simões, a iniciativa é para alertar os empresários de que a indústria brasileira precisa de inovação. "De nada adianta ter excelentes padrões de controle dos processos internos, tecnologias avançadas, estratégias inovadoras para produtos e serviços, se a sua força de trabalho não está envolvida", afirma.

Segundo o diretor Administrativo e Financeiro da Imograf, Fernando Dias, avalia que o projeto "é muito positivo, pois ajuda as pequenas empresas a agregar valor e diminuir os problemas, especialmente pelo acompanhamento que é dado. Isso aproxima as empresas do SESI".

 

Modelo - O projeto foi desenvolvido pelo Departamento Nacional do SESI, Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID e a Fundação Dom Cabral, e está tomando forma em todo o Brasil com empresas de até 99 funcionários, indicadas por sindicatos associados às Federações, que terão a oportunidade de alavancar e melhorar a competitividade de mercado.


Clique aqui e faça o download das apresentações.