06/04/2018

​Jovens do Coque têm apoio do Sesi para aprender inglês e informática

aluna tjpe.jpg

Mais de 140 jovens, estudantes dos ensinos fundamental e médio nas escolas públicas Municipal Professor José da Costa Porto, Escola de Referência em Ensino Médio Joaquim Nabuco e Monsenhor Manoel Leonardo de Barros Barreto, localizadas no Coque, vão participar gratuitamente de aulas de inglês e informática, até junho deste ano.

O Sesi/PE entra, pela segunda vez, como parceiro do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), e apoio da Orquestra Criança Cidadã, no projeto Justiça Libertadora, para oferecer aos jovens carentes do bairro, duas aulas por semana, totalizando 30 horas/aula, em cada curso, nas salas instaladas no Fórum do Recife. 

As aulas para as quatro turmas de informática acontecem nas segundas e quartas, das 8h às 12h, formada por alunos do ensino médio. Já as duas turmas de inglês, com 30 alunos cada, acontecem nas segundas e sextas, das 14h às 18h, para alunos do ensino fundamental. O Sesi Pernambuco vai disponibilizar professores e material didático e o TJPE a sala de aula e computadores. 

A solenidade, dia 5 de abril, teve participação do superintendente do Sesi/PE, Nilo Simões, e do presidente do TJPE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo. Também estiveram presentes os gestores das escolas, outros juízes do Fórum, estudantes participantes do projeto e familiares. A ação de inclusão social foi idealizada durante a gestão do desembargador Leopoldo Raposo na Presidência do TJPE, no biênio 2016/2018, e terá continuidade na atual gestão.

Segundo a analista de educação do Sesi/PE, Grace Barbosa, essa é a segunda edição do projeto, com participação do Sesi. "Percebemos que os jovens do fundamental não têm aula de inglês na escola e aí optamos por ensinar o idioma a eles, para que não fiquem tão aquém no mercado de trabalho. No ano passado, certificamos 126 estudantes", afirma. 

A estudante do Ensino Médio Taiany Mirela França, 15 anos, foi com a mãe para a cerimônia de abertura. Ambas estavam entusiasmadas para as oportunidades que a informática pode trazer no mercado de trabalho. Já Emanuelle Pereira dos Santos, 25 anos, que também participou do projeto de reinserção social ViraVida, do Sesi, e tem uma filha de sete anos, enxerga no curso a continuidade do seu renascimento, sem uso de drogas e prostituição. "Meu objetivo é me formar em psicologia e ajudar outras pessoas, como fui ajudada", relatou emocionada.