23/02/2015

​​Indústrias apostam na ginástica laboral para ampliar produtividade​


Alongamentos, exercícios físicos, relaxamento muscular, circuitos funcionais. Antes associadas apenas à prática de esportes ou à rotina em uma academia, as expressões foram incorporadas também ao ambiente corporativo. Em Pernambuco, já fazem parte do vocabulário – e da rotina – ​ de mais de 20 mil trabalhadores de empresas industriais, atendidas pelo programa de Ginástica Laboral do SESI/PE. Todas são provas de que atividade física e trabalho podem e devem, sim, dividir o mesmo espaço.

O analista de Qualidade de Vida da entidade, Fernando Medeiros, explica que são muitos os benefícios gerados pelo programa, tanto para a empresa quanto para o trabalhador. "O objetivo principal da ginástica na empresa é desenvolver exercícios físicos preventivos, fundamental para evitar Lesões por Esforço Repetitivo (LER) e Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (DORT), que ocasionam queda na produtividade e afastamentos do posto de trabalho. Além de auxiliar na prevenção dessas síndromes, ela também ajuda a combater o desgaste emocional dos funcionários e melhora a relação entre os colegas. O resultado é uma equipe mais motivada, saudável e produtiva", observa.

Segundo a professora de Educação Física do SESI/PE, Joana Barros, o ideal é que a ginástica seja praticada, pelo menos, três vezes por semana. Cada aula dura, em média, de 10 a 15 minutos, e os exercícios são aplicados de acordo com o tipo de trabalho executado pelos profissionais. "Nos preocupamos em deixar a aula bem dinâmica. Além dos exercícios mais tradicionais, também utilizamos jogos cooperativos, massagem, dança, Pilates e até Yoga", conta Barros. Ainda segundo ela, qualquer pessoa pode participar, sem restrições. "A ginástica laboral é mais do que recomendada para todos os trabalhadores", indica. Empresas interessadas devem entram em contato pelo telefone (81) 3412. 8587.