20/09/2016

Especialista demonstra papel estratégico da SST para indústria


Prevenir acidentes e doenças do trabalho deve ser uma prioridade das empresas. Essa foi a lição que cerca de 100 lideranças, industriais e profissionais da setor aprenderam no Workshop Empresarial, promovido pelo Serviço Social da Indústria de Pernambuco (SESI/PE), nesta segunda-feira (19), na sede da instituição, no Recife. O especialista em Desenvolvimento Industrial, Gustavo Nicolai, demonstrou em números e com casos reais, que investir em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) pode evitar prejuízos financeiros que podem levar até ao fechamento do negócio e significar uma grande economia no pagamento de tributos para as empresas que fazem uma boa gestão estratégica da área.


O especialista apresentou os resultados preliminares de uma pesquisa realizada pelo SESI em parceria com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção nos últimos 2 anos com 271 empresas de 26 Estados, o qual apontou que acidentes de trabalho têm um custo médio de R$ 9.417,00 sobre a folha de pagamento das empresas. Além disso, os afastamentos por acidentes de trabalho podem custar, em média, R$ 73.300, em indenização paga ao INSS por Ação Regressiva. Um valor que aumenta de R$ 470 mil a R$ 530 mil, em indenização por morte ou invalidez do trabalhador em Ação Regressiva, processo do INSS cobrando das empresas o valor de benefícios pago ao trabalhador. “Além desses custos diretos com acidentes e afastamentos de trabalho, essas ações regressivas têm um impacto ainda maior para as micro e pequenas empresas, pois geralmente é exigido um pagamento em parcela única, o que pode levar ao fechamento de um empreendimento”, afirma Nicolai.


Já para as grandes e médias empresas, esses acidentes e afastamentos do trabalho geram um custo extra nos tributos previdenciários, pois indicadores como Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP), Fator Acidentário de Prevenção (FAP), Riscos Ambientais do Trabalho (RAT), Seguro Acidente do Trabalho (SAT) são aplicados cumulativamente. “Geralmente, os contadores informam ao empresário apenas que sua alíquota aumentou, mas se as empresas compreenderem o mecanismo de funcionamento desses índices, elas podem ter uma economia considerável”, explica o especialista.


E-social - Outro fator que vai exigir bastante conhecimento e atenção das empresas e terá rebatimento até sobre os microempreendedores individuais que possuírem um colaborador é o e-social. Nesse sistema as empresas deverão atualizar as informações mensalmente e o esquecimento de algum item relacionado à SST poderá gerar multas automáticas que podem variar entre R$ 400,00 a R$ 4.020,00, por trabalhador. “Isso é muito relevante, pois SST, um assunto que a maioria das empresas não domina, corresponde a um quarto das informações do formulário do e-social”, conclui Nicolai. O especialista permanece em Recife até quinta-feira em um treinamento para aperfeiçoar a equipe de SST do SESI/PE.


“Como se pode ver, o assunto é crucial para a competitividade das empresas, por isso decidimos aproveitar os 70 anos do SESI para disseminá-lo junto à indústria pernambucana”, avaliou o superintendente da entidade, Nilo Simões. Estiveram presentes ao evento a diretora de Operações do SESI/PE, Eveline Remígio, o diretor Administrativo da FIEPE, Felipe Coelho e demais representantes do Sistema Indústria de Pernambuco.


Soluções - Como solução, o SESI/PE ofereceu aos presentes serviços para a gestão estratégica de SST, que vão desde palestras e cursos, os programas legais, tais como o de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), de Prevenção de Perda Auditiva (PPA) e Proteção Respiratória (PPR), medicina ocupacional, consultorias e laudos técnicos, que podem ser adquiridos isoladamente ou de forma integrada para mapear riscos e garantir um ambiente de trabalho seguro e sadio. A entidade já foi premiada seis vezes consecutivas como a melhor empresa do país na área de SST pelo prêmio Marca Brasil, maior reconhecimento nacional dado por especialistas e profissionais da área, sendo a última vez dia 13 de setembro deste ano. Mais informações (81) 3412.8330, pelo e-mail relacionamento@pe.sesi.org.br ou pelo WhatsApp (81) 9.8829.3330.

19.09.16 - Seminário GT Absenteísmo - Gustavo Nicolai.pdf