27/03/2014

​​​Conexão Mundo inicia aulas em abril​


O dia 07 de abril é aguardado com ansiedade por cerca de 200 alunos do SESI e SENAI, selecionados para o programa de intercâmbio Conexão Mundo. A data marca o primeiro encontro virtual dos estudantes com os seus "coaches", 17 voluntários norte-americanos que abraçaram a proposta de ensinar inglês a jovens do Recife e de Petrolina, gratuitamente, através de aulas presenciais e a distância. "A proposta do curso é fortalecer a empregabilidade dos jovens. Ter um segundo idioma representa um diferencial no currículo", diz a coordenadora do programa pelo SESI, Roberta Kacowicz.

O contato inicial entre "coaches" e estudantes acontecerá através das redes sociais. "As duas primeiras semanas de programa são mais livres, para que eles possam se conhecer e se sintam à vontade uns com os outros.  Depois, além da troca de mensagens pelo ​Facebook, as turmas passam a ter dois encontros semanais com os monitores via Hangout e precisam, também, fazer tarefas", explica a coordenadora, destacando que cada monitor é responsável por um grupo de 12 alunos.

Entre os estudantes estão 20 jovens que já participaram da primeira edição do Conexão Mundo, realizada em 2013. "Eles também tiveram sucesso no processo seletivo deste ano e irão compor as turmas avançadas" conta Kacowicz. Ao todo, serão 15 grupos de nível básico e dois avançados.

Segunda fase​ -  Monitores e alunos também já têm data certa para se conhecerem pessoalmente. Os norte-americanos aportam no Estado no dia 31 de maio e, dois dias depois, comandam a primeira aula presencial para os estudantes. Os encontros ​seguem até o final desse mês.

Intercâmbio - Assim como em 2013, os alunos que obtiverem os melhores resultados ao final do curso poderão realizar o sonho de conhecer os Estados Unidos, durante duas semanas, com todas as despesas pagas. "O intercâmbio permite que os jovens aprimorem a fluência do inglês e vivenciem a cultura americana. Lá, eles também irão visitar indústrias e empresas para conhecer um pouco mais do mercado de trabalho no exterior", finaliza a coordenadora.