17/06/2014

​​Alunos do programa ViraVida são certificados pelo Pronatec

Cerca de 30 alunos do programa ViraVida em Pernambuco comemoraram, na última sexta-feira (13), a formatura no curso de "operador de computador", realizado via Pronatec.  A cerimônia de diplomação, sediada no Centro de Convenções do Estado, em Olinda, contou com a presença da presidente da República, Dilma Rousseff; e dos ministros da Educação, Henrique Pahim, e das Cidades, Gilberto Occhi, entre outras autoridades.​​

"Esta formatura é fundamental para o Brasil. Só seremos uma nação desenvolvida se existirem milhões de pessoas como vocês", destacou a presidente, classificando a certificação dos jovens como um momento memorável para o País. "Conseguimos casar o esforço do povo brasileiro com a oportunidade da qualificação gratuita", disse.

Além dos jovens atendidos no programa de reinserção social do SESI, também foram certificados mais de 1.3 mil alunos do SENAI, SESC, SENAT e IFPE, todos formandos de cursos desenvolvidos em parceria com programa do Governo Federal.

Nova capacitação

Com o primeiro certificado em mãos, os alunos do ViraVida se preparam para iniciar, em julho, uma nova formação técnica: o curso de operador de telemarketing. A supervisora pedagógica do ViraVida em Pernambuco, Joyce Silva, explica que o programa atende, atualmente, 100 jovens divididos em três turmas. "Até o final do ano, cada turma terá concluído dois cursos técnicos. Assim, os estudantes terão mais oportunidades de ingressar no mercado de trabalho", afirmou.

Além dos operadores de computador, o ViraVida certificou, em abril, outros 24 jovens como promotores de vendas. Esses alunos iniciam, no próximo mês, outra capacitação na área comercial. Já a terceira turma do programa será qualificada para atuar como atendente de lanchonete e fará, também, curso de inglês. Todas as capacitações tem carga horária​ de 160 horas/aula e duração aproximada de três meses.

Empregabilidade

​Desenvolvido desde 2009 em Pernambuco, o ViraVida já beneficiou mais de 200 jovens através de cursos profissionalizantes, educação continuada e atendimento psicossocial. Cento e quatorze concluintes foram encaminhados para programas de aprendizagens, quatro para estágio, 83 trabalham com vínculo formal e sete abriram o próprio negócio.​