29/03/2019

​Ferramenta educacional que vem ganhando espaço na área de educação nas últimas décadas, a robótica está cada dia mais presente nas escolas do SESI-PE e os projetos desenvolvidos pelos alunos da instituição têm ganhado destaque em torneios nacionais. Prova disso é que quatro equipes participaram do Festival SESI de Robótica, entre os dias 15 e 17 de março, no Rio de Janeiro, e obtiveram excelentes resultados. Nesta sexta-feira (29), os jovens compartilharam as experiências vivenciadas no campeonato para o superintendente do SESI-PE, Nilo Simões, o Gerente de Educação, Michael Groarke, e a Diretora de Operações, Eveline Remigio, na Casa da Indústria.

O evento teve início com as boas-vindas de Michael Groarke, que reforçou o modelo de excelência da educação oferecida pelo SESI-PE com foco em ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Em seguida, Nilo Simões agradeceu o compromisso dos estudantes e ressaltou a relevância da robótica no ambiente escolar. "Quando assumi a superintendência do SESI-PE há dois anos e meio, a robótica era um desafio. Desde o começo, percebi a importância dessa ferramenta para as nossas escolas e nossos alunos, pois, através dela, os estudantes têm a oportunidade de desenvolver diversas competências que vão contribuir para a vida profissional de cada um", destacou.

A Rev Atom e a New Atom, do SESI Ibura, a GRT, do SESI Goiana e a Legomito, do SESI Paulista, realizaram apresentações que duraram cerca de 10 minutos apresentando a concepção e planejamento dos projetos, os desafios enfrentados, os detalhes do torneio, entre outros detalhes.

A GRT participou do F1 In Schools, campeonato de empreendedorismo e tecnologia da Fórmula 1, e trouxe para Pernambuco dois troféus: o 2º lugar geral e o prêmio de melhor projeto de engenharia. Os estudantes foram desafiados a criar uma escuderia e um carro de Fórmula 1 em escala reduzida para participar de corridas de velocidade na pista do evento. Para criarem o protótipo, eles utilizaram diversos recursos tecnológicos para projetar e modelar o carro. Durante o encontro na Casa da Indústria, a GRT montou uma pista de corrida e convidou Nilo e Michael para disputarem uma partida.

Já a Rev Atom, que conquistou o 4º lugar no First Tech Challenge, deu detalhes da construção do robô e apresentou o caderno de engenharia, contendo todas as ações realizadas pela equipe ao longo do campeonato. Além disso, os estudantes também simularam uma arena e fizeram demonstrações praticas com o robô construído por eles.

O First LEGO League, que estimulou crianças e jovens de 9 a 16 anos a conceberem projetos que ajudassem no bem-estar dos astronautas no espaço, contou com a participação da New Atom e da Legomito. Para o torneio, a New Atom criou uma produção de hortaliças para que os viajantes espaciais se alimentem melhor, já a Legomito propôs um jogo de cartas para os astronautas exercitarem a mente. Além do projeto científico, os alunos também mostraram os robôs criados com peças LEGO.