13/09/2019

​​David Edward Lins, estudante do 9º ano do SESI Ibura, conquistou a medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) após obter nota 9,7. Devido ao excelente resultado, David foi pré-selecionado para representar o Brasil na International Olympiad of Astronomy and Astrophysics (IOAA) e na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA) de 2020.

 A prova com dez questões, sendo sete de astronomia e três de astronáutica, foi realizada no dia 17 de maio e teve cerca de 800 mil inscritos. Os melhores classificados garantiram uma vaga na pré-seleção para os torneios internacionais.

 Aos 13 anos, David Lins tem uma rotina de estudos intensa e produtiva. Fora da sala de aula do SESI Ibura, o aluno estuda de três a cinco horas por dia, inclusive aos sábados e domingos. Para obter um bom resultado na primeira fase das olimpíadas internacionais, na qual todos os estudantes farão um pequeno simulado para fins de treinamento e três provas online, entre outubro e dezembro, com cerca de 20 questões de múltipla escolha, David pretende aumentar o foco nos estudos. Caso esteja entre os 150 alunos classificados, David participará da prova final, que será presencial, em março, em local a definir. Ao final desse processo, duas equipes serão selecionadas para representar o Brasil na International Olympiad of Astronomy and Astrophysics e na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica.

 David, que nasceu no Canadá e mora em Pernambuco há 5 anos, teve seu primeiro contato com a astronomia no ambiente escolar. "Astronomia era uma das matérias ensinadas na escola em que estudei na infância em Toronto. O professor costumava levar a turma para o planetário e foi a partir daí que comecei a me interessar pelo assunto", contou.

 Responsável por dar assistência didática ao jovem, o professor de física Itallo Fonseca antecipou que o preparatório para a OBA incluiu aulas extras, mostra de vídeos interativos de astronomia, leitura extraclasse e dicas com teorias dos principais filósofos gregos até o cientista Isaac Newton. "Para a seletiva internacional, a estratégia será intensificar os estudos e as atividades complementares. David é dedicado, curioso e organizado. Ele está focado em ter um bom desempenho e, para mim como docente, é bastante gratificante ver um aluno como ele tão interessado pelo ramo da ciência", disse.

 De acordo com a superintendente do SESI-PE, Cláudia Cartaxo, a metodologia STEAM - que une Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática – aplicada na Rede de Educação do SESI-PE estimula o desenvolvimento de diversas aptidões, como criatividade, comunicação, adaptabilidade e resolução de problemas. "Com essa metodologia, estamos despertando o interesse dos jovens pelas áreas de exatas e ciências, bem como formando novas gerações de astrônomos, engenheiros e cientistas, cujas atuações contribuirão para o desenvolvimento da indústria. O SESI-PE preza a participação dos estudantes em eventos nacionais e no exterior visando aprimorar a formação deles", destacou.​